Sobre como as palavras mexem com nossos corações e assistir séries longe dos parceiros pode acabar em divórcio. 

Definitivamente minha nova palavra favorita é patético, afinal, é assim que eu me sinto, sou. Definitivamente também não é uma palavra de se jogar fora, ela tem um som extraordinário, olha, outra palavra favorita. Por que eu estou falando tanta asneira? Já disse, sou patético! Tentei fumar a droga de um cigarro e descobri que joguei fora dez reais atoa, porcaria, gosto péssimo, sem falar que tossi mais que um tuberculoso em fase final, aliás, foi assim que meu tio Milton morreu. GRANDE homem, sério, grande mesmo, ele tinha 2,01 de altura. O cara era um bambu. Gente boa. Quem me viu ontem não imaginaria que em 16 horas eu me transformaria nesse caco. Eu mereço, afinal, estou deitado de cabeça pra baixo tem cinco minutos e já descobri que não tenho mais sangue nos pés, vieram tudo pra cabeça. Não, não é por isso. O motivo foi Glorinha, lógico que ela não chama Glorinha. Chama Rafaela, mas não quis expor o nome dela aqui. Olha só, já expus. COMO ELA FEZ COM MEU CORAÇÃO!                                       – CARLOS, CÊ TÁ CHORANDO DE NOVO? EU QUERO DORMIR PORRA! VOU ARRANCAR SEU FÍGADO SEU MERDINHA.                                                         – DESCULPA MÃE, JÁ TÔ INDO DORMIR! Como podem ver eu tenho uma família bela, unida e que me apoia em minhas fossas de pé na bunda.                                     – RAFAELA, se você estiver lendo isso saiba que você é uma piranha e que te odeio por ter arrancado meu coração e me traído com o Juarez, eu nunca vou perdoar você por ter assistido o restante de sobrenatural sozinha e nunca vou te entregar o Pelota! – Vem cá com o papai filhão, isso, pode lamber o papai, papai te amam meu cachorrão que nunca vai trair o papai como a mamãe fez! – Te amo.                                                                        – AGORA EU VOU AÍ CALAR A DROGA DA SUA BOCA CARLOS! – Mães, sempre nos amando e apoiando em tudo! 💙

Anúncios

Bicho de pé 

– Vou fazer uma coisa bem legal!                 – Uma tatuagem?                                               – Casar com você! Tatuagem? Credo! Dói muito!                                                                    – Como sabe? Já fez?                                        – Não, mas minha avó tirava bicho de pé de mim com agulha, é quase a mesma coisa! 

Férias.

Eu não quero dormir. 

Não quero sonhar. 

Não quero pensar. 

Não quero acordar. 

Olhar para minhas unhas. 

Para o teto. 

Quero olhar para o mar. 

Minha calda. 

Meus pés.

Não quero acordar amanhã. 

Hoje? 

Quais perguntas? 

Qual momento?

Alô?

Alô. 

Olha, a luz apagou.