O céu está cheio de satélites.

Olhei as estrelas e fiz um pedido, mas ele não se realizou, era apenas um satélite entre os milhares.

Ester Sousa.

Anúncios

Cama de solteiro.

Esta tão escuro no meu quarto
que não sei se os meus olhos estão abertos ou fechados.
Se estou sonhando, ou se estou acordado.
Se é um sonho ou um pesadelo
Se estou preso ou se estou pensando.
Está tão escuro no meu quarto que eu não sei se estou deitado ou sentado.
Andado ou parado.
Está tão escuro no meu quarto que não sei se estou… Só.

Ester Sousa.

Que feia você é, feia do meu coração!

Você é feia.
Quando sorri e olha de esguelha.
Você é feia.
É feia quando dorme com a boca aberta.
Você é feia.
É feia quando ri alto e faz festa com sua risada escandalosa.
Você é feia.
É feia quando vai comigo á praia e mostra teu corpo branco redondo.
Você é feia.
É feia quando fala dos seus pensamentos românticos, quando chora lendo Machado.
Você é feia.
É um espanto quando se irrita, fala alto, quase grita.
É feia e desajeitada.
Usa roupas desarrumadas.
É feia quando canta.
É feia quando anda.
É feia quando fala.
É feia quando come.
É feia até quando respira.
Ah, mas Deus criador astuto, te fez em segredo, criou um vaso feio e botou dentro um punhado de pedras preciosas.
Feita em ouro e adornada em barro.
Que alma bela, que coração grande.
Você é feia, tão feia que é bela.
Você é feia, é bela feia.

Ester Sousa.

Dialeto de loucos, ou você sabe ou você é lúcido.

– Você devia parar de andar de madrugada sozinho. Vai que alguém ruim te encontra?
– Não é sempre que tenho sorte.
– Você é terrível.
– Terrível é o cheiro do seu cigarro, me dá?
– Problemas de sono?
– Também, é mais um problema de memórias, sabe?
– Sei, bom, acho que sei.
– É você? O que faz aqui de madrugada? Ainda mais sendo mulher, os malas não perdoam.
– Na verdade eu só venho quando te vejo.
– Ah é como você me vê?
– Você sabe Antônio.
– Como sabe o meu nome?
– Você também sabe como eu sei. Aqui, outro cigarro. E é o seu preferido.
– Quem é você?
– Você sabe Antônio, não faça isso com você mesmo.
– Droga, eu não sei.
– Tenho que ir embora, amanhã nos falamos. Por favor, apaga a luz quando entrar, você sempre deixa a luz acesa.
– Você me beijou.
– Sim, beijei.
– Por que?
– Porque eu posso te beijar.  Beijar é um tipo de conversa, só que mais íntima, mais secreta, mais gostosa.
– É melhor você ir embora, eu não te conheço bem pra ficar te beijando.
– Tudo bem, beijos Antônio. Apague a luz viu!
– Cada louco, quem é essa? E ainda me beijou. Antônio, mas eu não me chamo Antônio. Ou me chamo? Droga, droga, droga, droga! O cigarro acabou, é melhor eu ir, vai que a sorte me encontra.

Ester Sousa.

Leia e engula.

[6/1 03:57] Ester Sousa: E eu sou um et
[6/1 03:57] Ester Sousa: ET
[6/1 03:57] Ester Sousa: Et 🌸🌸🌸
[6/1 03:57] Ester Sousa: Um Et flor
[6/1 03:59] Ester Sousa: Essa garota da foto não sou eh
[6/1 03:59] Ester Sousa: Só uso o corpo dela
[6/1 03:59] Ester Sousa: O sorriso dela, os lábios dela
[6/1 03:59] Ester Sousa: Os olhos dela
[6/1 04:00] Ester Sousa: Mas não sou ela
[6/1 04:00] Ester Sousa: Ando com o corpo dela, durmo com o corpo dela
[6/1 04:00] Ester Sousa: Mas não sou ela
[6/1 04:00] Ester Sousa: Sonho os sonhos dela, mas não sou ela
[6/1 04:00] Ester Sousa: Sou outra, sou outro
[6/1 04:00] Ester Sousa: Sou além
[6/1 04:00] Ester Sousa: Sou luz
[6/1 04:00] Ester Sousa: Sou ar
[6/1 04:00] Ester Sousa: Sou fogo
[6/1 04:00] Ester Sousa: A terra que pisa, o céu que deseja
[6/1 04:00] Ester Sousa: Sou o frio, o vento
[6/1 04:00] Ester Sousa: O gelo que congela
[6/1 04:01] Ester Sousa: Sou além
[6/1 04:01] Ester Sousa: Além dos teus olhos
[6/1 04:01] Ester Sousa: Olhando pra você
[6/1 04:01] Ester Sousa: Para os olhos que não são seus
[6/1 04:01] Ester Sousa: Os cílios que não são seu, mas que piscam, que cativam. Coquetes, teus cílios me encantam
[6/1 04:01] Ester Sousa: Me varrem, me jogam pra longe, me puxam pra perto
[6/1 04:02] Ester Sousa: Sou além
[6/1 04:02] Ester Sousa: Mas vejo você, além de você
[6/1 04:02] Ester Sousa: Além dos seus lábios que beijam
[6/1 04:02] Ester Sousa: Dos seus dentes que sorriem
[6/1 04:02] Ester Sousa: Da sua língua que fala
[6/1 04:02] Ester Sousa: Sou o mar
[6/1 04:02] Ester Sousa: Que desagua no teu sangue
[6/1 04:02] Ester Sousa: Que refresca os teus sonhos
[6/1 04:02] Ester Sousa: Que te trás pra mais perto
[6/1 04:03] Ester Sousa: Eu te puxo, te faço dançar minha dança
[6/1 04:03] Ester Sousa: Te faço buscar minhas memórias
[6/1 04:03] Ester Sousa: Te faço pedir meu amor
[6/1 04:03] Ester Sousa: Mas não amo
[6/1 04:03] Ester Sousa: Não sou ela
[6/1 04:03] Ester Sousa: Sou além,
[6/1 04:03] Ester Sousa: Sou a flor que tu cheira
[6/1 04:03] Ester Sousa: Sou a cama que tu deita
[6/1 04:03] Ester Sousa: Sou o sono que tu perde
[6/1 04:03] Ester Sousa: Me busca
[6/1 04:03] Ester Sousa: Me procura
[6/1 04:03] Ester Sousa: Sou as cordas que você acaricia
[6/1 04:03] Ester Sousa: O instrumento que você toca
[6/1 04:04] Ester Sousa: Sou o ar, sou o fogo
[6/1 04:04] Ester Sousa: O calor que te esquenta
[6/1 04:04] Ester Sousa: Vejo além
[6/1 04:04] Ester Sousa: Vejo seus dedos longos e finos
[6/1 04:04] Ester Sousa: Sua pele tão sem cor
[6/1 04:04] Ester Sousa: Mas te escuto
[6/1 04:04] Ester Sousa: “socorro” não te busco
[6/1 04:04] Ester Sousa: Te perdi naquela esquina
[6/1 04:04] Ester Sousa: Te busquei dentre minhas lágrimas
[6/1 04:04] Ester Sousa: Mas não há
[6/1 04:04] Ester Sousa: Não existe
[6/1 04:04] Ester Sousa: Minha memória é remota
[6/1 04:05] Ester Sousa: Ela se foi, se perdeu
[6/1 04:05] Ester Sousa: Você se foi, voou para o céu
[6/1 04:05] Ester Sousa: Entoa canta, faz teus lábios se mexerem
[6/1 04:05] Ester Sousa: Faz tuas mãos me rasgaram
[6/1 04:05] Ester Sousa: Faz tuas unhas me cortarem
[6/1 04:05] Ester Sousa: Me tira desse corpo
[6/1 04:05] Ester Sousa: Esse corpo não é meu
[6/1 04:05] Ester Sousa: Sou a luz
[6/1 04:05] Ester Sousa: Sou a alma
[6/1 04:05] Ester Sousa: A essência que ficou
[6/1 04:05] Ester Sousa: Sou a brisa que te beija
[6/1 04:06] Ester Sousa: Então porque a ama?
[6/1 04:06] Ester Sousa: A carne que está morta
[6/1 04:06] Ester Sousa: Os lábios que estão podres
[6/1 04:06] Ester Sousa: Os gestos que estão parados
[6/1 04:06] Ester Sousa: Quem eu sou?
[6/1 04:06] Ester Sousa: Além dos outros?
[6/1 04:06] Ester Sousa: Além da montanha?
[6/1 04:06] Ester Sousa: Além das rochas?
[6/1 04:06] Ester Sousa: Dos fósseis?
[6/1 04:06] Ester Sousa: Do gás?
[6/1 04:06] Ester Sousa: Do mar?
[6/1 04:06] Ester Sousa: Eu sou a água
[6/1 04:06] Ester Sousa: Eu sou o céu?
[6/1 04:07] Ester Sousa: Eu sou o nada.

Ester Sousa.

Zé Marmelada.

Estou andando no espaço.
” Olá “.
Estou há dois espaços.
” Gosto dele “.
Pisco para o vento.
” Tão frio, tão quente”.
Sou cheio de sentidos.
“Prefere beijar ou tocar? ”
Eu pulo os dias.
” Eu corro, você conta”.
Eu sou um homem ou uma fera?
” Mate todos, não queremos testemunhas “.
O que é o passado se não um relato do presente?

Um.
Dois.
Três.
Quanto tempo você contou antes de morrer?
Parei no Quarenta e oito mil e setecentos e cinquenta.
Eles ainda não chegaram.

Ah, há no “a” mais do que um bocejo?
Que sono.
Que tédio.
Que triste.
Morreu!

Ester Sousa.

Não é apenas apreciar, é demonstrar.

“Eu chego aqui todos dos dias e te vejo tocar. Seus dedos foram tocados por um anjo, me fazem suspirar sempre que você acaricia essas teclas, brancas e negras. São suas deusas. Bem, confesso que tenho inveja dessas suas carícias românticas. Você sempre parece um homem feito para amar e que ama fazer o que faz. Por isso eu te deixo essa nota e não notas de dinheiro com rostos de mortos que nunca tiveram o mesmo prazer que eu, te escutar.
Como nós somos seres que precisam ser constantemente alimentados, nossos egos tem fome de prazer, eu irei confessar, te escutar me enobrece. Quer maior prazer que a admiração? Por isso deixo esta nota para ti. Adoro tuas músicas, adoro seus dedilhados, esse teu piano é um sortudo, sempre que te escuto tocar eu o amo. Quem sabe esse teu talento não vem dos anjos?
Sempre serei teu admirador, ou admiradora, como bem desejar. Abraços seu (sua)  eterno (a) fã… “

Ester Sousa.

Delete.

Queria apagar certas histórias igual apaga palavras no teclado. Apenas segurar e deixar ir embora.

Ester Sousa.