Empilhado nas minhas amarguras.

Andei. 
Pisei em cacos brandos. 
De toda dor que tive
Você foi a que me restou. 
A cada melodia
Um toque é uma batida
Meu coração fechado,  cansou. 
Você realmente foi tudo que me restou. 
Se me dói pisar no chão estiçalhado
Se me dói pensar nos teus lábios rosados
Muito mais me dói, saber que nada me restou. 

De todas ilusões que tive
A maior delas foi pensar em você e no teu nome tão pequeno. 
Volte aqui menina. 
Volte com teus braços finos
Teu abraço quente
Teu mundo inteiro em mim. 

Andei
Por onde passei olhava e via,
Teu cabelo longo e bagunçado
Tuas pernas brancas e pequenas. 
Sobe em cima de mim
Eu te carrego o mais longe da terra. 

De todo mal que me restou
Você não estava nele
Se foi. 
Doeu. 
Me deixou. 
De todo amor que eu tinha
Você levou. 
Tudo o que me sobrou foi meus pedaços sem vida. 

Já é dia
E eu ainda não acordei. 
Não é que você dizia?
O meu sol, minha lua. 
E agora, o que faço com toda essa escuridão na minha vida?

Tudo o que eu tinha você levou
Meu amor. 

Anúncios

Comente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s