Passos dados em vão.

Cada passo que dava perdia-se um pedaço de ti. Primeiro foi uma orelha. Ele se tornou surdo pra todos, sem ter culpa do óbvio.
Outro passo e os dentes se foram. Tornou-se sem querer amargo. Não sorria pela falta dos dentes e pelo motivo de não escutar mais nada.
Ficou um tempo amuado num canto esperando qualquer coisa que o ajudasse.
Mas quem ajuda um surdo desdentado com uma doença que só regenera?
Ou não regenera?
Ele levantou. Foi andando, perdeu a pele, as mãos, os pés até que só sobrasse o coração.
Esse ele não perdeu. Por mais estranho que pareça era o único que o sustentava em pé.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Passos dados em vão.

Comente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s