Traumatismo escandaloso.

– Mamãe a Elena está com fome! – A menina de cabelos escuros e rostinho angelical sorria.
Uma mulher alta estava mexendo na panela, havia tanta preocupação no seu rosto que parecia ser impossível caber qualquer outro sentimento ali.
Mas ela sorriu pra a menina. Tirou aquela máscara e colocou outra.
– Já está quase pronto Melissa! – A cozinha estava clara e quente, lá fora o vento batia com uma densidade pesada de calor.
A menina balançou a cabeça até que os cachos se soltasse. Ela saiu correndo e sumiu de vista.
A mulher, que Deus a perdoe, chorou todos os lagos.
Cortou o dedo e o sugou. Terminou de cozinhar o feijão e desligou as panelas.
– Elena está chorando porque a mamãe está chorando.
– Não filha, diga pra Elena que a mamãe se cortou. Não é nada grave!
– O almoço está pronto? – A menina se encolheu num canto e abraçou as pernas. Ele chegou até a mulher e bateu com força no rosto.
– Está? – Gritou.
– Está sim! – Submissa.
Ele se sentou e esperou que ela colocasse o prato na sua frente.
Então comeu.
– Elena está triste.
– Cala a boca menina doida! Elena o que?! Não existe Elena! – Ela chorou em silêncio e abraçou a mulher.
O que havia acontecido?
Toda essa história dançava em frente a um espelho, mostrando uma menina pálida e uma mulher de branco.
De seus pequenos lábios não saiam nada.
Mas de sua cabeça a história sempre repetia.

Anúncios

Comente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s