(…)

Odeio a forma como começo destruindo tudo. 
Eu tento, me convenço. 
Mas maldição, consciências não enganam crianças. 

Eu não suporto quando ás vezes penso nisso. 
É todo momento, e em todo momento quero mais. 
Droga, maldita hora que fui pensar nisso sobre isso. 

Tenho tanta coisa pra falar, mas é tanta coisa em lacunas. 
Lacunas deviam ser músicas, músicas para toque suicida. 
“Não vá, ainda há lacunas a serem preenchidas!”

Será que eu desistiria de pular? 
( … )

3 comentários sobre “(…)

Comente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.