Crua, adaga, dor. É verdade.

Meus lábios foram tocados pela morte.
Eu não sei mais o que fazer.
Meu corpo é desejado por todos.
Isso é um vislumbre da dor.
Não suporto.
Meus lábios foram mordidos pela morte, ela ficou.
Fui levada para longe, longe, longe.
Meu corpo é um labirinto de dor, não o quero.
Sinto que nas minhas mãos carrego uma adaga, sinto que por onde passo a finco em pobres corações. Eu sinto.
Minha dor virou amarga, dela produzo veneno, há três anos que os vendo em bancada.
Me salve, te imploro.

Anúncios

Comente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s