Coisas que ninguém quer ler.

Descobri que palavras me serpenteiam como uma serpente faminta. Será que sou tinta ou sou vento?
Aqui, cá com meus botões eu cheguei à conclusão, eu sou tinta mal feita, as palavras se chegam a mim como humanos em mel. Analogia estranha e enfadonha. É o que sou. Talvez for tinta tenha alguma consequência nisso, ou talvez for algum tipo de dadaísmo. Acho que sou. 

Anúncios

Comente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s