Personagens de uma personalidade. (+18)

– Chegamos, venha, entre. – Ella entrou na casa e olhou, era tudo muito normal, uma TV de 32’, um sofá e duas poltronas pretas. A cozinha pequena com uma mesa de dois lugares, geladeira e fogão, um filtro ao lado da pia, nada de coisas pessoais bagunçadas ou de retratos de família, uma casa sem nada.
– Sinta-se a vontade.
– Uau, a casa de um homem arrumada. Eu esperava achar cuecas por todas as partes, copos e pacotes de comida em cima do sofá… – Ele riu e colocou a chaleira no fogo.
– Hey, eu sou organizado. Mentira, uma moça trabalha aqui duas vezes na semana e hoje ela veio. – Ella  riu e tirou os sapatos, se sentou no sofá e cruzou as pernas.
– O cheiro está bom.
– Claro, coloquei minha mistura especial. – Ele veio com duas xícaras e sentou ao lado dela.
– Hum, está delicioso.
– Você deu sorte. – Ele passou a mão no cabelo dela e começaram a falar sobre filmes, aos poucos as pernas foram se esbarrando, os braços se tocando e o corpo se juntando.
– Eu… Não sei se isso é o certo. – Ah, como ela desempenhava bem o seu papel de boa moça, como ela fazia mostrar quem não era, devia ganhar um premio por essa maravilhosa atuação. Seu ego inflava com esse pensamento.
– Tudo bem, eu sou precipitado, desculpa. – Heitor passou a mão no rosto de Ella, não se moveu para trás, fez um carinho perto do canto da boa, até que Ella o atacou, o beijou com furor, com sede ao pote.
– Milena – Ele sussurrou entre os beijos, ele tirou a echarpe e jogou longe, depois o vestido, por fim ela estava apenas de calcinha e sutiã. Heitor chegou para trás e sorriu.
– Tão linda, que pele exótica, que ardor. – Ella se mexeu sensual e tirou o cabelo do rosto.
– Então vem cá, me beija. – Heitor foi para cima dela e a pegou pela cintura, levantou-a do sofá e a levou até o quarto, a jogou em cima da cama feita.
Ambos começaram nesse jogo sensual, Ella tirou a roupa de Heitor e sorriu ao corpo nu, eles começaram a brincar de cão e gato.
– Eu sei que é nossa primeira vez…
– Você fala muito mulher.
– Eu tenho um fetiche. – Heitor chegou-se pra trás e a olhou com um sorriso divertido.
– Que tipo de fetiche? – Certo, é essa a hora, Ella pensou.
– Bem, do tipo que eu te algemo e brinco contigo. – Heitor fez uma expressão de surpresa.
– Uau garota, nunca pensei que você seria assim. Eu aceito, com uma condição… Eu te amarro primeiro, que tal? – Ella se arrepiou, ser dominada nunca se passou pelos seus pensamentos sujos, essa ideia a deixou excitada, a casa dele era normal, ele parecia ser um homem normal, deixaria, depois ele a soltaria e ela poderia fazer a segunda parte do plano, ver a dor no rosto dele.
– Certo, tudo bem. Tem algemas? – Se levantou e foi até uma cômoda, depois abriu uma gaveta e pegou uma algema metálica.
– Essa, que tal?
– Perfeita! – Se beijaram e ele a amarrou na cabeceira da cama.
A sensação estranha de está sendo presa a apavorou, essa sensação deliciosa e estranha. Ele a olhou como um dominador, passou a mão no corpo esbelto e começou a beijar em diversos lugares, foi até o seio pequeno e redondo e o mordiscou. Passou a língua no mamilo rosado e o sugou como força, como fome. Até que começasse a doer.
Ella não falava nada, nunca havia experimentado isso, a dor, ela não era uma mulher de princípios, mas tinha o seu próprio limite.
– Vai com calma –Heitor a olhou com raiva, como se ela tivesse interrompido uma reunião importante. E como um aviso para que ela não repetisse a fala ele sugou com mais força e mordeu. Ella gemeu de dor.
– Não estou gostando, me solta.
– O jogo é seu querida, você aceitou minhas regras. Você disse que não haveria problemas, cara faça o seu papel de vadia e cala a boca. – Ele riu alto e apertou os braços magros, foi para o outro seio com a mesma fome. Com mais força.
Ella estava assustada, uma das poucas vezes em sua vida que sentia alguma coisa além do grande vazio, ela estava com medo, mas no fundo gostava daquilo. Estava gostando. Foi então que a mordida se tornou forte, foi então que ela viu o sangue escorrendo pelo seio e pelos lábios finos.

 

Image

Presas em sua própria armadilhas o caçador vira caça.

Anúncios

Comente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s