Um pedido, um clamo por socorro.

Image
Em coração de mulher abandonada, habita adagas.

 

Estou tão triste, tão triste.
Eu grito por socorro,
ninguém me ajuda.

É essa a dificuldade do poeta,
 todos acham que a alegria nele habita,
que sentimentos de papel são sentimentos vazios.

Eu te digo, pois agora,
 é tudo mentira.
Essa mentira que em mim se aloja
 trás águas a esses olhos vazios.

Eu clamo por ajuda,
mas nem as paredes me escuta
cada grito é uma lástima
jogadas para o tempo perdido.

Estou apaixonada,
confesso, é esse meu motivo
mas minha tristeza não é de agora
ela vem desde que eu era só uma mocinha.

Ajuda-me homem belo,
que vejo beleza nas palavras
meus olhos são cegos
para toda essa beleza de fora.

Estou tão sozinha, tão sozinha
bebida já não me ajuda
ela apenas reforça minha memória
me faz ver em toda parte
aquele sorriso perdido
sorriso que já não me namora.

Eu peço, clamo, imploro,
mais uma vez apenas,
ah, mentiras e mais mentiras,
clamarei todos os dias
que um dia você volte.

Esse é o defeito das mulheres,
todos pensam que é pelo período do mês
mas eu bem sei que essa minha falsa alegria
é tristeza, é amor não correspondido,
não é embriaguez.

Ajuda-me meu caro leitor,
você que vai ler essas palavras
se lembre de que em cada verso
existe uma rima com dor.

Pense bem em minhas palavras,
meus dias estão tão vazios
meu coração está tão ocupado
em lembrar a todo instante
que o que eu vejo,
o que eu sinto,
é tudo, tudo um grande abandono. 

Comente.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.